ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES, UMA AGRESSÃO A SER COMBATIDA!

mai 17

“Desrespeitando os fracos, enganando os incautos, ofendendo a vida, explorando os outros, discriminando o índio, o negro, a mulher, não estarei ajudando meus filhos a ser sérios, justos e amorosos da vida e dos outros.”
(Paulo Freire. Pedagogia da Indignação, 2000.)

Este é um daqueles temas que se ouve muito, mas sabe-se pouco, no entanto tem sido motivo de preocupação do mundo inteiro. A exploração sexual infantil transformou-se no terceiro mais rentável comércio mundial, atrás apenas da indústria de armas e do narcotráfico. Além de ser um dos temas mais constrangedores ao Brasil, essa verdadeira onda de pedofilia está contribuindo para criar uma geração precoce de portadores do vírus da AIDS. Dessa forma, a exploração sexual infantil constitui-se numa praga que exige medidas concretas e urgentes.
De forma geral, a exploração sexual infantil trata-se do abuso sofrido por uma criança a qual, por vários fatores, como situação de pobreza ou falta de assistência social e psicológica, torna-se fragilizada. Todos estes são aspectos importantes para a compreensão da violência contra a criança.

Diferença entre abuso e exploração sexual

Para compreendermos e lutarmos por essa causa, precisamos primeiramente saber qual a diferença entre abuso e exploração sexual.
O abuso sexual acontece quando o corpo de uma criança ou adolescente é usado para a satisfação sexual de um adulto, com ou sem o uso da violência física. Tocar, acariciar as partes íntimas, levar a criança a assistir ou participar de práticas sexuais também constituem características desse tipo de crime.
A exploração sexual caracteriza-se pelo uso de crianças e adolescentes em atividades sexuais remuneradas (ou seja, em troca de dinheiro). Um exemplo seria a exploração no comércio do sexo, a pornografia infantil nesse caso o menino ou menina explorado passa a ser tratado como um objeto sexual ou mercadoria. Vale lembrar que ambos são considerados crimes, independente da idade da pessoa se isso ocorrer sem o seu consentimento.
Existem duas formas de os adultos praticarem esses tipos de violência contra as crianças e os adolescentes: com contato físico ou sem contato físico. Nos dois casos, o adulto abusa do jovem para conseguir algum tipo de prazer ou satisfação interior, já citado acima.

Com contato físico:

• Violência sexual: forçar relações sexuais, usando violência física ou fazendo ameaças verbais.
• Exploração sexual de menores: pedir ou obrigar a criança ou o jovem a participar de atos sexuais em troca de dinheiro ou outra forma de pagamento.
• Há também a carícia que envolve a criança como uma brincadeira, se prolongando de um simples beijo a intenções maiores.

Sem contato físico:

• Assédio: falar sobre sexo de forma exageradamente vulgar.
• Exibicionismo (ato obsceno): despir a roupa.
• Constrangimento: ficar de longe observando jovens ou crianças sem roupa ou ficar olhando de maneira intimidatória.
• Pornografia infantil: tirar fotos ou filmar poses pornográficas ou de sexo explícito.”

DIA 18 DE MAIO!

PORQUE DIA 18 DE MAIO?
A ideia de escolher o dia 18 de maio veio a partir de uma homenagem feita à menina Araceli Cabrera Sánchez Crespo (Vitória, 2 de julho de 1964 – Vitória, 18 de maio de 1973), uma criança brasileira que foi assassinada violentamente em 18 de maio de 1973. Seu corpo foi encontrado somente seis dias depois, desfigurado e com marcas de abuso sexual. Vinte e sete anos depois, a data de sua morte foi
transformada no Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes pelo Congresso Nacional.
O data surgiu em 1998, quando cerca de 80 entidades públicas e privadas reuniram-se na Bahia para o 1º Encontro do ECPAT no Brasil. O ECPAT é uma organização internacional que luta pelo fim da Exploração Sexual e Comercial de Crianças e Adolescentes, surgida na Tailândia. Assim sendo, a então Deputada Federal Rita Camata, atuando como Presidente da Frente Parlamentar pela Criança e Adolescente da Câmara dos Deputados, propôs um Projeto de Lei que estabelecia o Dia da Morte de Araceli como Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

A Lei N° 9.970 foi sancionada em 17 de maio de 2000.4 Desde então, entidades que atuam em Defesa dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes promovem atividades em todo o País para conscientizar a sociedade e as autoridades sobre a gravidade dos crimes de violência sexual cometidos contra menores.

VAMOS TODOS COMBATER! PARTICIPEM DA PASSEATA!

http://poupancajovemosenhor.wix.com/sosdopoupanca

Autores: Jovens da Escola Estadual Monsenhor José Paulino

Deixe um comentário